Assine

Carlos Alberto Riccelli

Carlos Alberto Riccelli

O ator e diretor Carlos Alberto Riccelli nasceu em São Paulo, SP, em 3 de Julho de 1946. Ex-engenheiro, estudou arte dramática na USP e estreou no cinema aos 24 anos em A Moreninha (1970), de Glauco Mirko Laurelli, ao lado da também iniciante Sônia Braga. O filme abriu-lhe as portas para a TV. Riccelli atuou em diversas produções da Tupi e mais tarde, na Rede Globo, em novelas e minisséries. Em 1979, voltou ao cinema com O Princípio do Prazer, de Luiz Carlos Lacerda. No início dos anos 80, dividiu com Gianfracesco Guarnieri e Fernanda Montenegro o set de Eles não Usam Black-Tie (1981), de Leon Hirszman. Ao longo da década, trabalhou em produções como Sonho sem Fim (1985), de Lauro Escorel; Ele, O Boto (1986), de Walter Lima Jr., Jorge, Um Brasileiro (1987), de Paulo Thiago, e Leila Diniz (1987), de Luiz Carlos Lacerda. No início dos anos 90, mudou-se para Los Angeles e lá protagonizou e co-produziu A Melhor Vingança (The Best Revenge/ 1996), de James Becket. Em seguida, voltou ao Brasil, atuou em algumas minisséries e programas de televisão e filmou o drama político Dois Córregos (1997), de Carlos Reichenbach. Sua carreira seguiu intercalando cinema e televisão. Apareceu nas novelas: Hospital, Preço de Um Homem, Vitória Bonelli, Supermanoela, A Viagem, O Espantalho, Éramos Seis; Sétimo Sentido, Louco Amor, A Indomada, Chiquinha Gonzaga, Riacho Doce, essas últimas na Rede Globo de Televisão. Estreou na direção com Stress, Orgasm and Salvation ou S.O.S. (2005), baseado em texto de sua mulher Bruna Lombardi. Protagonizou, em 2006, Brasília 18%, de Nelson Pereira dos Santos. Carlos Alberto Riccelli, sua mulher, a atriz e escritora Bruna Lombardi, e o filho Kim vivem nos Estados Unidos desde a década de 90.

Em 2007, lançou, ao lado da esposa Bruna Lombardi, o filme O Signo da Cidade, filme que teve sua direção. Em 2008, esteve novamente nos cinemas, desta vez, atuando no curta Manual Para Se Defender de Alienígenas, Zumbis e Ninjas. Ainda em 2008, Ricelli filmou o longa Federal. O personagem vivido por Ricelli é o delegado Vital que faz parte do grupo de elite da Polícia Federal. O filme, dirigido por Erik de Castro, foi lançado em 2010.
Após dez anos afastado da TV, Carlos Alberto Ricelli voltou em Trago Comigo, minissérie de quatro episódios dirigida pela cineasta Tata Amaral, no ar também em setembro de 2009, na TV Cultura. Em 2010, o ator esteve na segunda temporada da série Filhos do Carnaval, na HBO. Riccelli dirigiu, em 2011, o filme Onde Está a Felicidade?, estrelado pela mulher, Bruna Lombardi, e que tem direção de arte do filho, Kim Riccelli.
Foi casado com a atriz e escritora Carmen Monegal, com quem trabalhou em: Vitoria Bonelli, Éramos Seis, SuperManoela na Globo e produziram quatro curtas para o Fantástico, na TV Globo também. Pediram demissão no final de SuperManoela e foram morar na Europa. Se separaram em 1977 e Carmen casou-se com Daniel Arocena Kane.
 

03/07/1946 (68 anos)

Signo de Cancer

Notícias sobre Carlos Alberto Riccelli

Fotos de Carlos Alberto Riccelli

Mais Fotos

Mais Notícias de Carlos Alberto Riccelli